Dança, improvisação e capoeira em ensaio aberto
  • Erranças | Divulgação
    img
  •        
  • Erranças | Divulgação
    img
  •        
  • Erranças | Divulgação
    img
  •        
  • Erranças | Divulgação
    img
  •        

A dançarina Gabriela Santana apresenta seu solo neste sábado (12), em Olinda, com entrada gratuita 

Provocar no espectador o sentimento de tensão de um corpo oprimido que resiste e criar maneiras de dialogar com sensações internas e estímulos provocados ou captados em tempo real. É isso que propõe Erranças: estudos técnico-poéticos em dança e capoeira, o primeiro trabalho solo da dançarina e capoeirista paulista Gabriela Santana, professora do curso de Dança da UFPE. Produzido juntamente com o músico baiano Jair Coelho que, em tempo real, compões paisagens sonoras para os passos de Gabriela, a apresentação será neste sábado (12), às 18h, no Casbah, em Olinda.

Erranças é um misto de investigação de estados corporais gerados a partir de princípios resultantes de lembranças, afetos e singularidades gerados na relação da dançarina com o universo da capoeiragem. É uma composição aberta à improvisação, onde o trabalho de corpo é orientado por princípios de movimento da capoeira Angola. O objetivo, no entanto, é desenvolver uma postura expressiva por meio de um corpo que, para improvisar, maneja sensações, percepções, imagens, impulsos, desejos e memórias.

O solo de dança se faz a partir de uma rede de simbolismos e metáforas tecidas através de uma narrativa digressiva de motivos biográficos. A busca se dá pela modulação de um estado criativo e engajado que entremeia, em tempo presente, devires e heranças culturais. Como explica a criadora, Erranças está relacionada com as incertezas. “É por em movência a ideia de um corpo errático que devaneia no tempo presente, negando a objetividade da vida cotidiana e, neste caso, buscando referências de outras temporalidades”, explica Gabriela.

Na performance, que tem cerca de 30 minutos, a movimentação e a dramaturgia da dançarina é inspirada ora por arquétipos, ora por tensões corporais advindas do sentimento de devoção e força, expressos por impulsos ora implodidos ora explodidos. “A ideia é trabalhar elementos do jogo e a organização do corpo na capoeira num viés de improvisação”, conta a dançarina.

No ensaio aberto, além da dança, o público entrará em contato com materiais estéticos que fazem parte da pesquisa (elementos cênicos, notas poéticas e ambiência sonora) organizados nos espaços onde a performance atravessa – entre espaços fechados (nesse caso, o Casbah e o Mourisco) e a rua.

PESQUISA – Erranças é desdobramento de uma pesquisa em dança contemplada pelo Fundo de Apoio à Cultura – Funcultura em 2014 e se alimenta de diálogos do projeto Capoeira no CAC  formado por representantes desta expressão cultural. No último mês de fevereiro, a pesquisa cumpriu a meta de um seminário envolvendo parte da equipe – dançarina, músico e a assistente artística Bárbara Santos, que é artista-pesquisadora e professora do Curso de Dança da UFPB – além das pesquisadoras e também artistas Valéria Vicente e Maria Acserald, que desenvolvem trabalhos na fronteira entre o popular e a cena contemporânea.

FICHA TÉCNICA
Dançarina-criadora: Gabriela Santana
Diretora artística: Bárbara Santos
Músico: Jair Coelho
Fotógrafo: Caique Eça
Videartista: Tonling Cheng (do DVD final)
Designer Gráfica: Iara Sales
Figurinista: Gabriela Holanda

SERVIÇO
Ensaio aberto Erranças: estudos técnico-poéticos em dança e capoeira
Quando: 12 de março
Onde: Casbah (na rua 27 de Janeiro, no Carmo-Olinda)
Horário: 18h
Apresentação gratuita




Postado por


COMPARTILHE:

Sobre o autor
Maíra Passos

POSTS RELACIONADOS:

  • Mostra Só Dança PE chega à terceira edição
    Mostra Só Dança PE chega à terceira edição
  • Caruaru ganha seu primeiro congresso de dança
    Caruaru ganha seu primeiro congresso de dança
  • Mundo ao redor da dança
    Mundo ao redor da dança

Deixe um comentário

Mensagem