Danças populares pernambucanas em oficina
  • Aula Espetáculo Fervo Frevo / FOTO: Carolina Gonzalez
    img
  •        
  • Grupo Peleja / FOTO: Renata Pires
    img
  •        

O projeto Trocadilho abre inscrições gratuitas a partir do próximo dia 25

Trocadilho, que vai abordar a prática e a pesquisa em Danças Populares, abre inscrições para duas oficinas gratuitas, a partir da próxima segunda-feira (25), através do e-mail trocadilhooficina@gmail.com. O evento acontece de 19 a 23 de março, no Centro Cultural Correios e sede do Coletivo Lugar Comum, ambos no Bairro do Recife.

Proposto pela atriz, dançarina e pesquisadora Viviane Souto Maior, a ideia é fazer um intercâmbio entre artistas e pesquisadores das áreas de dança, teatro e culturas populares que têm nas danças tradicionais de Pernambuco a base do seu trabalho pessoal, técnico e cênico, assim como a divulgação de suas pesquisas para a classe artística pernambucana.

As atividades que compõem o projeto têm como foco a pesquisa sobre a incorporação de elementos das danças populares à prática de formação de dançarinos e atores profissionais, tendo como resultado um conjunto de exercícios e metodologia de treino baseados no frevo e no cavalo marinho, assim como a colaboração dessas danças para o processo de criação cênica. Mais informações: (81) 9699.2731 / 8826.3459.

 + Saiba mais sobre as oficinas:

Teatro e Dança: Uma Brincadeira, com Viviane Souto Maior

De 19 a 23 de março, das 9 às 12h, na sede do Coletivo Lugar Comum (Rua Madre de Deus, 170, sala 202, Bairro do Recife). A oficina dialoga com diferentes linguagens: teatro, dança e cultura popular, apresentando os diversos desdobramentos possíveis da dança do frevo e do cavalo-marinho e o seu aproveitamento técnico, cênico e educativo como potencial para o trabalho nas artes cênicas.

 Cavalo Marinho e o Corpo na Cena, com Lineu Gabriel

De 19 a 23 de março, das 9 às 12h, no Centro Cultural Correios (Av. Marquês de Olinda, 262, Bairro do Recife. Tel: 3224 5739 e 3424 1935). A oficina oferece exercícios e dinâmicas elaboradas a partir da corporalidade presente na brincadeira de cavalo marinho, com o objetivo de estimular a criatividade do ator-dançarino, assim como sua capacidade de passear por diferentes gramáticas corporais. Estimulando o corpo e a construção de uma qualidade de presença para a cena, os elementos da tradição aparecem como detonadores de estados corporais que enriquecem a composição de teatro e/ou dança.




Postado por


COMPARTILHE:

Sobre o autor
Maíra Passos

POSTS RELACIONADOS:

  • Caruaru ganha seu primeiro congresso de dança
    Caruaru ganha seu primeiro congresso de dança
  • Mundo ao redor da dança
    Mundo ao redor da dança
  • Pole dance made in Pernambuco é destaque em competições nacionais e internacionais
    Pole dance made in Pernambuco é destaque em competições nacionais e internacionais

Deixe um comentário

Mensagem