Espetáculos e oficinas de dança para a criançada
  • O Tempo Perguntou ao Tempo | FOTO: Flora Pimentel
    img
  •        
  • O Tempo Perguntou ao Tempo | FOTO: Flora Pimentel
    img
  •        

Projeto Pintando o 7 conta com aulas de graça para crianças e apresentações nacionais e internacionais para o público infantil, de 21 de julho a 06 de agosto, na Caixa Cultural

Com o objetivo de promover o desenvolvimento de atividades artísticas voltadas para o público infantil, Pintando o 7 vai colocar a garotada pra dançar entre 21 de julho e 06 de agosto, na Caixa Cultural, no Recife. Entre as atividades, o projeto promove oficinas de dança gratuitas para pais e filhos, com inscrições abertas até o próximo dia 18, através do e-mail gentearteirape@gmail.com.

A ideia é ultrapassar a experiência do palco e proporcionar para o público uma oportunidade de vivenciarem um momento de aprendizado e de diversão, oferecendo à criança a experiência com diferentes tipos de estéticas para estimular o senso crítico e criativo, agregando a prática artística ao trabalho educativo. Danças urbanas, dança contemporânea e atividades lúdicas estão na programação das oficinas, que têm vagas são limitadas.

Já sobre as apresentações, Pintando o 7 traz para a capital pernambucana três companhias de diferentes regiões do país, realizando nove apresentações de espetáculos de dança para crianças, sendo duas coproduções internacionais de Portugal e Alemanha. Todos os espetáculos acontecem às sextas e sábados, às 16h, e domingos, às 10h, com classificação livre e ingressos a preço popular, custando R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia).

No primeiro fim de semana, nos dias 21, 22 e 23 de julho, o público poderá conferir as apresentações da Companhia de Danças de Diadema (SP), com a montagem “A Mão do Meio Sinfonia Lúdica”, uma história sobre o nascimento, a descoberta do corpo e da vida, e também, sobre as diferenças. Já nos dias 28, 29 e 30, será a vez da coprodução Brasil/Portugal “O Tempo Perguntou ao Tempo”, do Grupo Acaso (PE). O espetáculo faz uma viagem lúdica ao mundo das parlendas, cantigas e brincadeiras de infância em comum entre os dois países.

Finalizando o projeto Pintando o 7, já no mês de agosto, a Cia. Elisabete Finger (Brasil/Alemanha) apresenta nos dias 04, 05 e 06 o espetáculo “Buraco”, um trabalho em coprodução com a Alemanha. No palco, os artistas mostram as perspectivas do que é um buraco: uma relação entre dentro e fora do corpo, entre diferentes corpos, entre diferentes materiais.

Os ingressos para todos os espetáculos estarão à venda na bilheteria da Caixa Cultural, a partir das 10 horas da quinta-feira que antecede o espetáculo. O Pintando o 7 é uma realização da Fervo Projetos Culturais com patrocínio da Caixa e do Governo Federal. Mais informações: (81) 3425.1906. Abaixo, confira a programação dos espetáculos e oficinas!

PROGRAMAÇÃO DOS ESPETÁCULOS

Companhia de Danças de Diadema (SP)
Espetáculo: A Mão do Meio – Sinfonia Lúdica
Dias 21 (sexta-feira), 22 (sábado) e 23 (domingo) de julho de 2017.
Sexta e sábado, às 16h e domingo, às 10h.
60min. Indicação: Livre

Grupo Acaso (PE)
Espetáculo: O Tempo Perguntou ao Tempo
Dias 28 (sexta-feira), 29 (sábado) e 30 (domingo) de julho de 2017.
Sexta e sábado, às 16h e domingo, às 10h.
55min. Indicação: Livre

Elisabete Finger (Brasil/Alemanha)
Espetáculo: Buraco
Dias 04 (sexta-feira), 05 (sábado) e 06 (domingo) de agosto de 2017.
Sexta e sábado, às 16h e domingo, às 10h.
45min. Indicação: Livre

PROGRAMAÇÃO DAS OFICINAS

Companhia de Danças de Diadema (SP)
Workshop: Dança Contemporânea e Jogos Lúdicos
Orientadores: Ana Bottosso e Ton Carbones (SP)
Dia: 22 de julho de 2017 (sábado)
Hora: 13h às 15h
Público Alvo: Crianças de 4 a 12 anos acompanhadas dos pais ou adulto
Vagas: 20 (10 crianças, 10 adultos)

Conteúdo: aquecimento das articulações e grupos musculares ora aplicados de maneira direta, ora aplicados em jogos lúdicos. Investigação dos gestos e expressões comuns do dia a dia da criança, estudadas através da interação entre os participantes e posteriormente aplicadas ao universo cênico. Espaço para improvisação e criação de pequena célula de movimentos.

Sobre Ana Bottosso e Ton Carbones:
Ana Bottosso – Bailarina, coreógrafa e professora de Ballet Clássico e Dança Contemporânea, bacharel pela PUC / SP em Ciências Sociais. Como formação artística, formou-se nos cursos de Habilitação Plena para Bailarinos da Royal Academy of Dancing, conquistando o Diploma de Teacher Certificate. Especializações no Brasil e exterior como França, Bélgica, Alemanha e Nova York. Atualmente é diretora, bailarina, coreógrafa e artista orientadora da Companhia de Danças de Diadema.

Ton Carbones – Bailarino, coreógrafo e cenógrafo. Iniciou na arte em 1999 integrando como ator e cenógrafo o grupo teatral Catraia de Diadema/SP com direção de Ângela Barros. Em 2002 fez parte do elenco da Cisne Negro II Cia de Dança, dirigida por Betsy Lobato e Edmundo Bitencourt, apresentando os espetáculos “Gente” e “Sexteto para dez”, de Sônia Mota, “Delverdi al amarilo”, de Vitor Navarro, “Paisagens”, de Vladimir Condereche e “Presente, ausente…”, de Wagner Alvarenga.  Atualmente é assistente de direção, bailarino e produtor da Companhia de Danças de Diadema, dirigida por Ana Bottosso.

Grupo Acaso (PE)
Workshop: Brincando de Danças Urbanas
Orientadores: Hulli Cavalcanti, Anderson Dimas e Ayrton Tavares (PE)
Dia: 27 de julho de 2017 (quinta-feira)
Hora: 15h às 17h
Público Alvo: crianças de 07-12 anos, acompanhadas dos pais ou adulto
Vagas: 20 (10 crianças e 10 adultos)

Conteúdo: utilização de métodos de criação de situações, explorando a imaginação das crianças. Através do brincar, iniciar o público em técnicas de danças urbanas como o hip hop freestyle, o popping e o wave. Serão abordados fundamentos que auxiliam no processo criativo e elucidativo das crianças, pois utilizam uma linguagem mais próxima de suas vivências e jogos, sendo alguns deles o toyman (homem boneco) e robot (robô).

Sobre Hulli Cavalcanti, Anderson Dimas e Ayrton Tavares:
Hulli Cavalcanti – Bailarina desde 2001 e integrante do Grupo Acaso, Hulli é estudante de Dança da Universidade Federal de PE, profissional e pesquisadora de danças urbanas com foco na dança popping e pertencente à cultura Funk Style. Obteve o primeiro lugar no campeonato internacional de Dança BCN TOP STYLES, realizado em Julho de 2013, na cidade de Barcelona, Espanha. Primeiro lugar em popping no Encontro de Danças Urbanas do Recôncavo (Salvador/BA) em 2015.

Anderson Dimans – Integrante do grupo FunkyNáticos e do Grupo Acaso. Atualmente Coreógrafo e Pesquisador Dimans tem o foco direcionado para dança ”POPPING” que tem suas ramificações (BOOGALOO, ANIMATION E FUNK). Com o trabalho de pesquisa sobre ”COMPOSIÇÃO COREOGRÁFICA”, ministra aulas e workshops além de ser jurado em eventos dentro e fora do Estado. Alcançou o 1o Lugar nos campeonatos Garanhuns Breaking, Street Cult, Hip Hop Atravessando o Jordão e no Festival Cearense de Hip Hop.

Ayrton Tavares – Também conhecido como “poppin ton”, é integrante do grupo “FunkyNáticos” e Grupo Acaso. Atualmente coreógrafo e pesquisador com foco em Waving e Animation, Ayrton foi jurado de vários campeonatos e ministra aulas fora e dentro do estado (PE) com o intuito de disseminar as danças urbanas de efeito em sua Região.

Elisabete Finger (Brasil/Alemanha)
Workshop: Jornada ao Interior do Buraco
Orientadores: Jamil Cardoso e Priscila Maia (RJ)
Dia: 05 de agosto de 2017 (sábado) Hora: 17h30 às 18h30
Dia: 06 de agosto de 2017 (domingo) Hora: 11h15 às 12h15
Público Alvo: crianças de 04 a 12 anos, acompanhadas por seus pais ou adulto
Vagas: 15 (crianças acompanhadas pelos pais ou responsáveis)

Conteúdo: conversa sobre a percepção das crianças sobre o que foi visto em cena: o que é um buraco? Quais buracos foram percebidos na peça? Quais buracos temos em nós? Quais buracos podemos criar? Como? O que é possível fazer com eles? Como coloca-los em relação? Como coloca-los em movimento?

Sobre Jamil Cardoso e Priscila Maia:
Jamil Cardoso – Carioca, formado em Dança Contemporânea na Escola Angel Vianna, 2000. Bacharel em Artes cênicas – Interpretação pela UNIRIO, 2009. Licenciado em Artes Cênicas para o Ensino Fundamental e Médio pela AVM, 2016. Pós-graduando em Psicomotricidade Clínica e Relacional no Instituto UCAM Prominas. Artista, trabalha a partir da dança entre os meios da dança, teatro, performance, áudio visual e educação. Atualmente é instrutor de dança no Gisele Alvim Espaço de Dança e professor de Introdução à Metodologia Angel Vianna e Dança Contemporânea, Regente de Dança Contemporânea na Escola e Faculdade Angel Vianna, respectivamente, e Coordenador de sua Mostra Pedagógica.

Priscila Maia – Carioca, 35 anos. Bacharel em jornalismo pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e roteirista com especialização na Escuela Internacional de Cine Y Televisión (Cuba), desde 2003 dedica-se às artes vivas e integradas. Em 2008, integra o elenco da Lia Rodrigues Companhia de Danças, onde atua como intérprete-criadora durante três anos. Com Gustavo Ciríaco, foi performer e assistente de direção nas coreografias “Onde o horizonte se move” e “Quem anda no chão, quem anda nas árvores, quem tem asas”. Atua como educadora e ministra oficinas de videodança e de dramaturgia para dança. É fundadora e artífice do Fórum Permanente de Dança do Rio de Janeiro.




Postado por


COMPARTILHE:

Sobre o autor
Fabiana Constantino

POSTS RELACIONADOS:

  • Uma homenagem aos famosos musicais
    Uma homenagem aos famosos musicais
  • Espetáculo faz interação entre dança e tecnologia
    Espetáculo faz interação entre dança e tecnologia
  • Endança comemora 10 anos com o espetáculo Déjà Vú
    Endança comemora 10 anos com o espetáculo Déjà Vú

Deixe um comentário

Mensagem