11ª Mostra Brasileira de Dança [cancelada]

Categoria:

  • Um corpo acústico - Grupo Edson Beserra / FOTO: Renato Acha
    img
  •        
  • Territórios - Acupe formação em dança / FOTO: Laryssa Moura
    img
  •        
  • Nordeste, a dança do Brasil - Balé Popular do Recife / FOTO: Marcelo Lyra
    img
  •        
  • Encontro Oposto / FOTO: Rogerio Alves
    img
  •        
  • Conexão Renda / FOTO: Diana Fontes
    img
  •        
  • Balé Afro Maje Mole / FOTO: Pedro Portugal
    img
  •        

[Mostra cancelada nessa quarta-feira, 03. A 11ª edição vai acontecer em agosto de 2014]

A 11ª Mostra Brasileira de Dança, promovida pelos produtores Iris Macedo e Paulo de Castro, vai ocupar três teatros do Recife (PE), no período de 04 a 07 de julho. O evento celebra a dança em suas mais distintas vertentes, abrindo espaço para espetáculos do dançar afro, contemporâneo e popular, com equipes do Recife, Olinda, Brasília, Natal e Mossoró. Os ingressos custam R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia). Mais informações: (81) 3021.2830.

Confira a programação!

Dia 04 de julho (quinta-feira)

TEATRO SANTA ISABEL, a partir das 20h:

Aaminah (Balé Afro Majê Molê – Olinda/PE)

Celebrando 16 anos de trajetória, o Balé Afro Majê Molê traz este um inédito trabalho, “Aaminah”, cujo título foi retirado da cultura muçulmana e significa “Dama da paz e da harmonia”. O coreógrafo Gilson Gomes quer mostrar, neste momento turbulento, a importância da paz no mundo, em referência ao Brasil, o povo muçulmano e africano. No palco, 12 meninas entre 8 e 24 anos, além de um dançarino, Fábio Roberto, de 14 anos. Quatro percussionistas acompanham ao vivo. Gilson Gomes, Glória Gomes e Angélica Lins dividem a direção do espetáculo. O coreógrafo Gilson Gomes recentemente esteve na França, em Bourbon, ensinando dança afro.

Territórios (Acupe Formação em Dança – Recife/PE)

Com direção geral de Paulo Henrique Ferreira, o espetáculo é formado por algumas pesquisas dos alunos do curso Acupe Formação do Intérprete Pesquisador em Dança, onde os intérpretes criadores foram adentrar em lugares do corpo e voz ainda inabitados, explorando as possibilidades expressivas  através da premissa do corpo integrado, mostrando influências culturais que constituem a corporeidade e a identidade artística. A junção destes trabalhos propõe um diálogo entre as influências corpórea dos intérpretes e a proposta de encenação no universo contemporâneo.

Dia 05 de julho (sexta-feira)

TEATRO APOLO, a partir das 20h

Dia 06 de julho (sábado) 

TEATRO APOLO, a partir das 18h30

Um Corpo Acústico (Grupo Edson Beserra – Brasília/DF)

Ex-integrante do Grupo Corpo, o bailarino brasiliense Edson Beserra se desafia neste solo. Em cena, o criador trava diálogo intenso com provocações vindas de três artistas audiovisuais: Cássio Sader, Hieronimus do Vale e Tomás Seferin. Cada um, dentro de linguagem e de ferramentas próprias, propõe ao bailarino uma espécie de exercício de escuta, no qual ele terá que responder com movimentos, numa conversa que abre espaço para “acordos, desacordos, consensos e silêncios”.  O jogo cênico absorve improvisações e interatividades, o que potencializa a natureza efêmera e mutável das artes cênicas. A montagem não é recomendada para menores de 14 anos.

TEATRO LUIZ MENDONÇA, a partir das 20h30

Encontro Oposto – Três Movimentos Em Um Ato (Ivaldo Mendonça Em Grupo – Recife/PE)

Coreografia e direção: Ivaldo Mendonça. O espetáculo tem como eixo central questões de gênero e sexualidade, propondo uma reflexão sobre o processo de descoberta, camuflagem e aceitação da sexualidade do indivíduo em que o guia de pesquisa da criação é a relação entre o sexo oposto e suas diversas representações que ele pode assumir na sociedade. Através da dança contemporânea, a montagem desnuda essa trajetória cheia de conflitos, tensões e sentimentos muitas vezes contraditórios e que podem ser encontrados em qualquer lugar pela abrangência do assunto.

Dia 07 de julho (domingo)

TEATRO APOLO, a partir das 18h30

Conexão RENDA (Natal e Mossoró/RN)

O Projeto Conexão RENDA, sob a Coordenação de Diana Fontes e agraciado com o Prêmio Funarte Petrobrás de Dança Klauss Vianna/2012, é composto de um solo, um duo e um trio em dança contemporânea selecionados através de edital e sugerindo novas linguagens e ideias através da utilização de espaços alternativos. A iniciativa circula pelos estados que compõem a Rede Nordeste de Dança – RENDA.

TEATRO LUIZ MENDONÇA, a partir das 19h30

Nordeste, a Dança do Brasil (Balé Popular do Recife – Recife/PE)

Coreografia e direção André Madureira. Uma espécie de cartão-postal em movimento do mais renomado grupo de dança pernambucano, em atividade desde 1977, com números de tirar o fôlego de qualquer um. Seus jovens bailarinos mostram toda a versatilidade da dança brasílica (recriação da dança popular), esbanjando energia em números de frevo, maracatu, caboclinhos e afro, exaltando os ciclos festivos e, em especial, o carnaval.

Postado por


COMPARTILHE:

Sobre o autor
Maíra Passos

POSTS RELACIONADOS:

  • Coletivo Trippé leva espetáculo e oficinas de dança para o sertão
    Coletivo Trippé leva espetáculo e oficinas de dança para o sertão
  • “Do Terrêro de Salu” leva dança popular para jovens do sertão
    “Do Terrêro de Salu” leva dança popular para jovens do sertão
  • Mostra Brasileira de Dança realiza sua 14ª edição
    Mostra Brasileira de Dança realiza sua 14ª edição

Deixe um comentário

Mensagem