Cena Cumplicidades

Categoria:

  • Espaçamento | FOTO: Rossana Magri
    img
  •        
  • Espaçamento | FOTO: Claudia Figueiredo
    img
  •        
  • Três mulheres e um bordado de sol | FOTO: Rogério Alves
    img
  •        
  • Pé no chão | FOTO: Divulgação
    img
  •        
  • Pé no chão | FOTO: Divulgação
    img
  •        
  • Karina Leiro | FOTO: André Ferreira
    img
  •        
  • Karina Leiro | FOTO: André Ferreira
    img
  •        
  • Entre a matéria e a memória | FOTO: Divulgação
    img
  •        
  • Espaçamento | FOTO: Rossana Magri
    img
  •        
  • Espaçamento | FOTO: Claudia Figueiredo
    img
  •        
  • Três mulheres e um bordado de sol | FOTO: Rogério Alves
    img
  •        
  • Pé no chão | FOTO: Divulgação
    img
  •        
  • Pé no chão | FOTO: Divulgação
    img
  •        
  • Karina Leiro | FOTO: André Ferreira
    img
  •        
  • Karina Leiro | FOTO: André Ferreira
    img
  •        
  • Entre a matéria e a memória | FOTO: Divulgação
    img
  •        

Festival traz dança, música, teatro e artes visuais, até o dia 09/11, no Recife e Olinda

A quinta edição do Cena Cumplicidades reúne a construção em todo andamento criativo. Assim, o festival traz dança, teatro, música e artes visuais para Recife e Olinda, até o próximo dia 09 de novembro.

O evento vem com 38 apresentações, num total de 24 grupos convidados, sendo sete internacionais, nove pernambucanos e oito de outros estados. Nos teatros, os ingressos custam R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia). Mais informações no site do festival e pelo e-mail cenacumplicidades@gmail.com

PROGRAMAÇÃO DE DANÇA 

  • Três mulheres e um bordado de sol Compassos Cia de Danças (Recife/ BRA) Teatro Marco Camarotti (Recife), 07/11, às 18h30, e 08/11, às 18h e 20h

O elenco da Compassos e três personalidades femininas marcantes da arte ocidental entrebordando cores, vozes, letras, movimentos, alegrias, segredos e dores, em um lugar-não lugar desse tempo-não tempo. Criado a partir da pesquisa de linguagem da dança do cotidiano, que a Compassos vem desenvolvendo nos últimos anos, o espetáculo dialoga com os múltiplos sentimentos, memórias e seres humanos que nos atravessam, nos tocam e nos habitam. Duração: 60min | Classificação: 12 anos

  • Espaçamento Cláudio Lacerda/ Dança Amorfa (Recife / BRA)  Teatro Barreto Júnior (Recife), 07 e 08/11, às 20h

O espetáculo é resultado da pesquisa Trilogia da Arquitetura Desconstrutivista e dá continuidade à trajetória de experimentação de Cláudio Lacerda/Dança Amorfa em conjunto com os bailarinos Juliana Siqueira e Jefferson Figueirêdo. A coreografia é inspirada nas obras arquitetônicas da vertente desconstrutivista, cujas palavras-chave são deformação e deslocamento. Duração: 50 min | Classificação: Livre

  • Dança e música especial Grupo pé no chão (Recife/BRA) Alto da Sé (Olinda) 08/11, às 16h15

O Tufu (Moçambique) | N´Golo (Angola) |Ima Yetu (Angola) | Gourounssi (Bukina Fasso) | Bobodiouladon(Bukina Fasso) | Marakadon (Bukina Fasso) Convidados: DJ Big | MC Mago Mago | Zé Brown (Recife/ Olinda/ BRA) Criado em 1994, desenvolve atividades educativas com crianças e adolescentes que fazem das ruas o principal espaço de luta pela sobrevivência na cidade de Recife. Duração: 2h | Classificação: Livre

  • Afro Prada: Guerreiras Notáveis Companhia de Dança Afro Sagração Negra (Recife/BRA) Alto da Sé (Olinda), 09/11, às 15h30

A apresentação envolve dança e música ao vivo em um diálogo que remete ao som da África Nagô, evocando os orixás herdeiros e presentes em nações como tupi, Malê, Congo e Zulu. As coreografias apresentam movimentos do ambiente natural em harmonia e equilíbrio com cantos antigos e sons percussivos. Duração: 10min| Classificação: Livre

  • Entre a matéria e memória Manuel Castomo Mussund’za (Moçambique/ AFR) Alto da Sé (Olinda), 09/11, às  16h30

O bailado “Entre Matéria e Memória” baseado em fatos vividos em Aldeias de Moçambique, desmistifica alguns conceitos no cenário socio cultural; a morte e o luto. O bailarino intérprete Manuel Castomo Mussundza busca dialogar através do corpo e da voz, a história de como lidar com a perda; onde através da dança há possibilidade da cura. Duração: 25min | Classificação: Livre.

  • Redoble Karina Leiro e Eduardo Bertussi (Recife/Salvador/BRA) Alto da Sé (Olinda), 09/11, às 17h

A raiz da construção das manifestações artísticas na arte flamenca se dá na interação entre músicos e bailaores (bailarinos de flamenco). Esse trabalho se pretende uma síntese dessa interação através do diálogo do guitarrista com a bailaora. Nele, estão presentes alguns aspectos essenciais da arte flamenca que se encontram também na vida de muitos de nós: sofrimentos, lutas cotidianas, amor, vida e morte. Duração: 20min | Classificação: Livre Ficha técnica: Bailarina – Karina Leiro. Guitarrista – Eduardo Bertussi.

  • Proibido Elefantes Companhia Gira Dança (Natal / BRA) Teatro Barreto Júnior (Recife), 09/11, às 19h

O espetáculo fala do olhar como via de acesso, porta de entrada e saída de significados. O modo como percebemos a “realidade” é resultante do diálogo que estabelecemos com esta: nosso olhar é constituído pela realidade assim como a realidade é constituída pelo nosso olhar – a construção do sentido transita em via de mão-dupla. Duração: 60min | Classificação: Livre

Postado por


COMPARTILHE:

Sobre o autor
Maíra Passos

POSTS RELACIONADOS:

  • Bolshoi vem ao Recife para ministrar aulas gratuitas de balé clássico e dança contemporânea
    Bolshoi vem ao Recife para ministrar aulas gratuitas de balé clássico e dança contemporânea
  • Mapeando a improvisação do movimento
    Mapeando a improvisação do movimento
  • Força, mistério e beleza da mitologia africana
    Força, mistério e beleza da mitologia africana

Deixe um comentário

Mensagem