Corpos Compartilhados

Categoria:

  • Valsa.me / Foto: Conrado Falbo
    img
  •        
  • Topografias do feminino / Foto: Ailce Moreira
    img
  •        
  • Pé de Saudade / Foto: Luminosa Fotografia
    img
  •        

O espetáculo Corpos Compartilhados, do Coletivo Lugar Comum, inicia uma série de 10 apresentações gratuitas pelo Recife e Região Metropolitana em espaços alternativos. As primeiras encenações dentro do projeto, acontece no dia 25 e 26/04, às 19h, na Associação Comunitária da Muribeca, em Jaboatão dos Guararapes. Ao todo, são quatro solos que propõem uma maior aproximação entre o público e os corpos dos bailarinos, todos utilizando a poesia como parte da criação e inspiração dos movimentos: Topografias do Feminino, de Liana Gesteira; OSSevaO, de Silvia Góes; Valsa.me, de Cyro Morais e Pé de Saudade, de Maria Agrelli.

Corpos Compartilhados será encenado também em Olinda, Cabo, Camaragibe, Recife e São Lourenço da Mata. A circulação continua em maio, dias 08 e 10, às 19h30, na Escola Municipal José Collier, em Camaragibe. Dias 09 e 24 de maio têm apresentações no Recife, dentro da programação do Festival Palco Giratório, em parceria com o SESC, sempre às 18h, no pátio do Centro Apolo-Hermilo, ambas com recurso de audiodescrição. Dia 09 o público poderá conferir as performances Valsa.me e Topografias do Feminino. Já no dia 24 de maio, OSSevaO e Pé de Saudade.

Corpos Compartilhados é composto de quatro solos de dança contemporânea criados por artistas do Coletivo Lugar Comum a partir de um pensamento de performance. Os trabalhos são Topografias do Feminino, de Liana Gesteira, sobre o corpo-território da mulher, com seus significados, sensações e simbologias; OSSevaO (expressão de O Avesso espelhado) , de Silvia Góes, poetizando sons e lapidando letras num corpo-palavra que se mostra no desnudamento do seu avesso; Valsa.me, de Cyro Morais, um convite para a dança de um corpo que traz marcas de diferentes amores vivenciados; e Pé de Saudade, de Maria Agrelli, que compartilha com o público a sensação da saudade como parte inextricável do próprio corpo. Todos têm em comum a proposta de discutir em seus corpos memórias e vivências de outros.

Postado por


COMPARTILHE:

Sobre o autor
Maíra Passos

POSTS RELACIONADOS:

  • Dançando na Rua do Recife
    Dançando na Rua do Recife
  • O passo guerreiro
    O passo guerreiro
  • Sapatilhas vermelhas
    Sapatilhas vermelhas

Deixe um comentário

Mensagem