Turnê “The Best of Tchaikovsky”, do Ballet Imperial da Rússia, passará pelo Recife
  • A Bela Adormecida | FOTO: Divulgação
    img
  •        
  • A Bela Adormecida | FOTO: Divulgação
    img
  •        
  • O Lagos dos Cisnes | FOTO: Divulgação
    img
  •        
  • O Lagos dos Cisnes | FOTO: Divulgação
    img
  •        
  • O Quebra Nozes | FOTO: Divulgação
    img
  •        
  • O Quebra Nozes | FOTO: Divulgação
    img
  •        
  • A Bela Adormecida | FOTO: Divulgação
    img
  •        
  • A Bela Adormecida | FOTO: Divulgação
    img
  •        
  • O Lagos dos Cisnes | FOTO: Divulgação
    img
  •        
  • O Lagos dos Cisnes | FOTO: Divulgação
    img
  •        
  • O Quebra Nozes | FOTO: Divulgação
    img
  •        
  • O Quebra Nozes | FOTO: Divulgação
    img
  •        

Uma das maiores companhias de balé clássico do mundo traz ao Brasil repertório com trechos de “O Lago dos Cisnes”, “A Bela Adormecida” e “O Quebra-Nozes”. Teatro Guararapes recebe o grupo dia 4 de maio

Em meio às celebrações pelos seus 25 anos, o Ballet Imperial da Rússia anuncia sua volta ao Brasil, após hiato de nove anos, em turnê inédita. Com o espetáculo “The Best of Tchaikovsky”, apresenta trechos dos três mais importantes balés do repertório clássico: “O Lago dos Cisnes”, “A Bela Adormecida” e “O Quebra-Nozes”, obras-primas do compositor russo Piotr I. Tchaikovsky. O giro passará por São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Goiânia, Recife, Fortaleza, Natal, João Pessoa, Ribeirão Preto e Campinas, numa realização da Art Rec Produções. Na capital pernambucana, o espetáculo será encenado dia 4 de maio, no Teatro Guararapes.

Criado em 1994 por Gediminas Taranda, estrela do Ballet Bolshoi de 1980 a 1993, o Ballet Imperial da Rússia reúne artistas vindos das melhores escolas de balé do mundo, como a Ópera de Paris, Teatro Mariinsk, Teatro Bolshoi e American Ballet Theatre. O grupo representa a harmonia e integridade da Escola Russa de Balé, mantendo as tradições e a continuidade daquilo que é passado de geração para geração.

Taranda, diretor artístico do conjunto, é o responsável por realizar as versões que a companhia apresenta, baseadas nas coreografias originais. A principal tendência é o estilo clássico, mas, ao mesmo tempo, as apresentações do grupo apresentam também o estilo moderno – e esse fenômeno foi pioneiro para a Rússia. O repertório é montado com base em uma combinação de explorações artísticas clássicas e modernas.

No elenco de 28 bailarinos que virão ao Brasil, destaque para os solistas Ivan Zviagintsev (que já passou por companhias como Bolshoi, Russian Ballet Theatre e Russian National Ballet); Kseniia Pukhlovskaia (Russian Ballet Theatre e Russian National Ballet); Lina Sheveliova (Teatro Nacional de Ópera e Balé da Moldávia); e Nariman Bekzhanov (Teatro de Ópera e Balé Abay State, no Cazaquistão). No Ballet Imperial da Rússia, o talento e a personalidade de todos os profissionais são altamente respeitados. Cada artista do grupo tem a chance de mostrar seu potencial criativo ao máximo.

“Imperial” é o nível mais alto na concepção do balé russo, significando o melhor no mundo. Os fundadores do grupo expressaram dessa forma o respeito pela dinastia que deu uma grande contribuição para o desenvolvimento da cultura russa e estabeleceu o sistema dos teatros imperiais, incluindo o Bolshoi e o Mariinsk. O Ballet Imperial da Rússia faz turnês por todos os continentes desde sua criação, já tendo passado por países como Japão, Espanha, França, Alemanha, Finlândia, Dubai, Cazaquistão, Nova Zelândia, Austrália, Argentina e Chile. Suas apresentações em Moscou são fixas no Tchaikovsky Concert Hall, no Teatro Mossovet, mas o palco principal do grupo é o Teatro E. Kolobov “New Opera”.

Além da reconhecida qualidade técnica, também cenário, figurino e iluminação merecem atenção especial da companhia, que traz todo o arsenal original direto de Moscou. Para esta turnê, 1,5 tonelada de material cênico e figurinos vem ao Brasil.

O FUNDADOR

Gediminas Taranda é respeitado mundialmente por seus trabalhos teatrais, juntamente com seus empenhos sociais e de caridade. Estrela do Teatro Bolshoi por 13 anos (destaque em “A Idade de Ouro” e “Raymonda”, coreografados por Yuri Grigorovich), há 25 anos atua como diretor artístico do Ballet Imperial da Rússia. Em 2002, Taranda foi presidente do 1º Festival Internacional de Balé de Moscou “Grand Pas”, que se transformou no festival oficial anual de balé da cidade. Produziu e coreografou muitas performances, incluindo o premiado filme “Nika”, estrelado por Alexei Nemov, ex-ginasta olímpico; “O Lago dos Cisnes na Água” na piscina olímpica em Pequim, “Opera Mania” e “Symphonic Mania”, na França.

Ele foi o organizador de eventos culturais para a equipe da Rússia nos Jogos Olímpicos de Atenas, Turim, Pequim, Vancouver e Londres, além de ter sido premiado com uma medalha do Comitê Olímpico Internacional por Promoção do Movimento Olímpico. Gediminas apareceu em inúmeros programas de televisão, incluindo o concurso de boxe beneficente “The King of Ring” e “Ice Age”, de Ilia Averbukh, no qual ele dançou no gelo com a campeã mundial e a medalhista olímpica na patinação artística Irina Slutskaya. Em auxílio à caridade, Gediminas organizou bailes russos e europeus e participou de promoções dedicadas à luta contra a Aids e o câncer em todo o mundo.

SERVIÇO

Ballet Imperial da Rússia em “The Best of Tchaikovsky”
Quando: sábado, 04 de maior de 2019
Horário: às 19h
Onde: Teatro Guararapes, no Centro de Convenções de Pernambuco – Prof. Andrade Bezerra, S/N – Salgadinho, Olinda (PE)
Classificação: livre
Duração: 1h50
Ingressos: à venda na bilheteria do teatro (segunda a sábado, das 9h às 17h), lojas Ticketfolia (shoppings Plaza, Recife, Tacaruna, RioMar, Boa Vista) e www.eventim.com.br.
Plateia Especial: R$ 224 e R$ 112 (meia)
Plateia: R$ 164 e R$ 82 (meia)
Balcão: R$ 124 e R$ 62 (meia)
Informações: (81) 3182.8020




Postado por


COMPARTILHE:

Sobre o autor
Maíra Passos

POSTS RELACIONADOS:

  • Isabela Severi realiza oficina sobre explorações somáticas de movimento
    Isabela Severi realiza oficina sobre explorações somáticas de movimento
  • 35º Concurso de Quadrilhas Juninas do Recife
    35º Concurso de Quadrilhas Juninas do Recife
  • Sapatilha de ponta: quando começar a usar?
    Sapatilha de ponta: quando começar a usar?

Deixe um comentário

Mensagem