15ª Mostra Brasileira de Dança será na Colômbia
  • Balé Teatro Castro Alves | FOTO: Divulgação
    img
  •        
  • Focus Cia. de Dança | FOTO: Paula Kossatz
    img
  •        
  • Na exposição fotográfica: Balé da Cidade de São Paulo | FOTO: Wellington Dantas
    img
  •        
  • Na exposição fotográfica: Corpo de Dança do Amazonas | FOTO: Wellington Dantas
    img
  •        
  • Fotógrafo Wellington Dantas | FOTO: Divulgação
    img
  •        
  • Focus Cia. de Dança | FOTO: Paula Kossatz
    img
  •        
  • Balé Teatro Castro Alves | FOTO: Divulgação
    img
  •        
  • Na exposição fotográfica: Balé da Cidade de São Paulo | FOTO: Wellington Dantas
    img
  •        
  • Na exposição fotográfica: Corpo de Dança do Amazonas | FOTO: Wellington Dantas
    img
  •        
  • Fotógrafo Wellington Dantas | FOTO: Divulgação
    img
  •        

O festival, que nasceu no Recife, terá nova edição realizada em Bogotá e Cali, de 29 de outubro a 04 de novembro 

Criada no Recife em 2003, sob o comando dos produtores culturais Iris Macedo e Paulo de Castro, a Mostra Brasileira de Dança (MBD) será realizada pela primeira vez fora da capital pernambucana. Com última edição produzida em 2017, o festival volta a colocar a dança em cena de hoje até 04 de novembro, na Colômbia, aproveitando sua 15ª edição para iniciar seu processo de internacionalização.

Sob o comando dos diretores Iris Macedo e Paulo de Castro, a 15ª Mostra Brasileira de Dança vai passar pelas cidades de Bogotá (Teatro Colón e Sala Mallarino) e Cali (Teatro Municipal Enrique Buenaventura, Teatro Calima e Centro Cultural Comfandi). Na programação, exposição do fotógrafo pernambucano Wellington Dantas, que apresenta “Um Olhar sobre a Dança Brasileira”, na qual reúne 15 registros fotográficos, realizados por ele, ao longo de uma década na Mostra.

Também haverá apresetanção da Focus Cia. de Dança, do Rio de Janeiro, levando o espetáculo “Still Reich”, inspirado nas músicas do compositor contemporâneo americano Steve Reich. E o Balé Teatro Castro Alves, da Bahia, irá com o espetáculo Lub Dub, nome que se refere ao som das batidas do coração, na qual a obra é inspirada na diversidade de sons percussivos de diferentes culturas. Dois workshops de dança contemporânea ainda integram a programação da mostra.

INTERNACIONALIZAÇÃO

O projeto de internacionalização foi construído desde 2016, durante a participação da MBD na delegação brasileira em feiras de economia criativa na América do Sul. O projeto foi apresentado na Colômbia, durante o Mercado de Indústrias Culturais do Sul (MiCsul), e, no Brasil, após dois anos, durante o Mercado de Indústrias Culturais do Brasil (MicBr) quando foram firmados as negociações e os processos de parcerias e acordos de cooperação internacional.

O objetivo do evento é dialogar com o mercado da indústria criativa sul-americana, criando redes para fomentar a circulação de bens e serviços culturais promovendo a geração de negócios para grupos brasileiros no mercado internacional. A comitiva da dança brasileira viaja com 31 pessoas, que vão desenvolver dez atividades para gerar novas perspectivas sobre o que está sendo produzido artisticamente no Brasil. A missão é promover a imagem dos artistas brasileiros e do potencial criativo do País.

HISTÓRIA DA MOSTRA

Desde 2003, a mostra contou com a participação de mais de 500 grupos artísticos, e público formado por mais de 100 mil espectadores. Ao longo de sua trajetória, a Mostra contemplou diversas linguagens e expressões, e revelou o significado da diversidade cultural da dança no Brasil. Para Iris Macedo, o fato da MBD comemorar 15 edições com uma etapa internacional é “uma importante forma de dar visibilidade ao produto artístico brasileiro na América Latina”.

A diretora acredita que as apresentações internacionais podem corroborar na ampliação da possibilidade de novos negócios, no fomento à economia criativa e também na construção de novas linguagens artísticas realizadas através da troca de experiências e do contato com novas culturas. O projeto conta com a parceria internacional do Teatro Colón Bogotá e Bienal Internacional de Dança de Cali, além de patrocínio do Governo da Bahia, Apoio Institucional da Funarte – Governo Federal. A realização é da Fervo Projetos Culturais e Paulo de Castro Produções.




Postado por


COMPARTILHE:

Sobre o autor
Maíra Passos

ÚLTIMOS POSTS:

  • Personagem bíblica inspira o espetáculo Rivca, do Balance Studio de Dança
    Personagem bíblica inspira o espetáculo Rivca, do Balance Studio de Dança
  • Ballet da Cidade de Niterói em temporada no Recife
    Ballet da Cidade de Niterói em temporada no Recife
  • MPB do século 20 embala o espetáculo Armazém Brasil, da Cia. de Dança Guilherme Queiros
    MPB do século 20 embala o espetáculo Armazém Brasil, da Cia. de Dança Guilherme Queiros

Deixe um comentário

Mensagem