Dança na rede!
  • Renato Bezerra / Arquivo pessoal
    img
  •        
  • Só Bailarinos
    img
  •        

Bailarino pernambucano criou o Só Bailarinos, projeto que já completa 6 anos e possui cerca de 100 mil participantes nas mídias sociais

Maíra Passos

Como sua nomenclatura já revela, o balé clássico é uma das artes mais antigas. Surgiu há alguns séculos atrás, mas mantém fiéis seguidores apaixonados até os dias contemporâneos. E muitos! Basta acessar as páginas de Só Bailarinos nas redes sociais para ver que muita gente ainda está curtindo. E foi para reunir os amantes da dança clássica, aproveitando o embalo e as possibilidades de interação na era digital, que o bailarino recifense Renato Bezerra idealizou o projeto, lá em 2006, quando o Orkut começou a virar febre.

Acompanhando os novos passos da web, hoje, Só Bailarinos possui perfis e fan page no Facebook, somando cerca de 100 mil participantes. Fazendo parte da chama “geração y”, Renato, de 24 anos, conhece bem a força das redes sociais para ajudar a difundir a dança no mundo. “Nossa proposta é divulgar fotos, especialmente de balé clássico, que é a minha paixão”, conta, lembrando que segue o projeto em parceria com de Angelo Mazaroty e do bailarino Lucas Splint, do Rio de Janeiro.

Nas páginas, informações sobre aulas, bailarinas profissionais e concursos, como YAGP, Prix de Lausanne e Varna Ballet Competition. Assim, a ideia é que os talentos sejam mais reconhecidos, principalmente para bailarinos iniciantes e aspirantes a profissionais. “Lembro que no começo, ainda no Orkut, muitas as pessoas nem sabiam que no nosso país tinha tantas pessoas talentosas e sempre comentavam: ‘nossa, o Brasil é lindo’”, recorda Renato, completando que recebe mensagens de vários estados dizendo que as postagens as incentivam e dão força para elas começarem e continuarem a dançar.

Porém, apesar da maioria das mensagens serem elogiando a arte, o bailarino conta que já recebeu comentários impróprios, como homofóbicos em postagens de homens dançando. “Não aceito preconceito, bloqueio na hora”, pontua. Mas isso não desanima Renato. Pelo contrário, o sucesso do projeto na rede o levou a produzir um documentário com a Cia. Brasileira de Ballet, em processo de montagem, que terá o trailer divulgado no Só Bailarinos, em breve.

Atualmente, Renato concilia sua paixão pela dança com trabalho paralelo. Já passou por escolas, como Studio de Danças, Aria Espaço de Dança e Arte e Espaço Endança. “Infelizmente, não posso me dedicar integralmente ao balé, pois sabemos que não é fácil viver como artista em terras pernambucanas, mas nunca deixo de acreditar em mim e na dança”, conclui.




Postado por


COMPARTILHE:

Sobre o autor
Maíra Passos

    ÚLTIMOS POSTS:

    • Espetáculos de dança fazem parte da programação do 28º Janeiro de Grandes Espetáculos
      Espetáculos de dança fazem parte da programação do 28º Janeiro de Grandes Espetáculos
    • Espetáculo O Quebra Nozes, produzido pelo Studio de Danças e Pina Ballet Hall
      Espetáculo O Quebra Nozes, produzido pelo Studio de Danças e Pina Ballet Hall
    • Os vídeos mais curtidos do Festival de Vídeos de Dança Na Ponta do PÉ!
      Os vídeos mais curtidos do Festival de Vídeos de Dança Na Ponta do PÉ!

    Deixe um comentário

    Mensagem