Danças populares pernambucanas em oficina
  • Aula Espetáculo Fervo Frevo / FOTO: Carolina Gonzalez
    img
  •        
  • Grupo Peleja / FOTO: Renata Pires
    img
  •        

O projeto Trocadilho abre inscrições gratuitas a partir do próximo dia 25

Trocadilho, que vai abordar a prática e a pesquisa em Danças Populares, abre inscrições para duas oficinas gratuitas, a partir da próxima segunda-feira (25), através do e-mail trocadilhooficina@gmail.com. O evento acontece de 19 a 23 de março, no Centro Cultural Correios e sede do Coletivo Lugar Comum, ambos no Bairro do Recife.

Proposto pela atriz, dançarina e pesquisadora Viviane Souto Maior, a ideia é fazer um intercâmbio entre artistas e pesquisadores das áreas de dança, teatro e culturas populares que têm nas danças tradicionais de Pernambuco a base do seu trabalho pessoal, técnico e cênico, assim como a divulgação de suas pesquisas para a classe artística pernambucana.

As atividades que compõem o projeto têm como foco a pesquisa sobre a incorporação de elementos das danças populares à prática de formação de dançarinos e atores profissionais, tendo como resultado um conjunto de exercícios e metodologia de treino baseados no frevo e no cavalo marinho, assim como a colaboração dessas danças para o processo de criação cênica. Mais informações: (81) 9699.2731 / 8826.3459.

 + Saiba mais sobre as oficinas:

Teatro e Dança: Uma Brincadeira, com Viviane Souto Maior

De 19 a 23 de março, das 9 às 12h, na sede do Coletivo Lugar Comum (Rua Madre de Deus, 170, sala 202, Bairro do Recife). A oficina dialoga com diferentes linguagens: teatro, dança e cultura popular, apresentando os diversos desdobramentos possíveis da dança do frevo e do cavalo-marinho e o seu aproveitamento técnico, cênico e educativo como potencial para o trabalho nas artes cênicas.

 Cavalo Marinho e o Corpo na Cena, com Lineu Gabriel

De 19 a 23 de março, das 9 às 12h, no Centro Cultural Correios (Av. Marquês de Olinda, 262, Bairro do Recife. Tel: 3224 5739 e 3424 1935). A oficina oferece exercícios e dinâmicas elaboradas a partir da corporalidade presente na brincadeira de cavalo marinho, com o objetivo de estimular a criatividade do ator-dançarino, assim como sua capacidade de passear por diferentes gramáticas corporais. Estimulando o corpo e a construção de uma qualidade de presença para a cena, os elementos da tradição aparecem como detonadores de estados corporais que enriquecem a composição de teatro e/ou dança.




Postado por


COMPARTILHE:

Sobre o autor
Maíra Passos

    ÚLTIMOS POSTS:

    • Inspirações da bailarina do Theatro Municipal do Rio de Janeiro Liana Vasconcelos para produzir dança em casa
      Inspirações da bailarina do Theatro Municipal do Rio de Janeiro Liana Vasconcelos para produzir dança em casa
    • Cenas do Nordeste, online, traz espetáculos de dança e teatro
      Cenas do Nordeste, online, traz espetáculos de dança e teatro
    • Coreógrafo Ivaldo Mendonça se conecta com bailarinos durante a pandemia, através de fotografias
      Coreógrafo Ivaldo Mendonça se conecta com bailarinos durante a pandemia, através de fotografias

    Deixe um comentário

    Mensagem