Grupo Peleja completa 10 anos de dança popular
  • Gaiola de Moscas | FOTO: Divulgação
    img
  •        
  • Gaiola de Moscas | FOTO: Divulgação
    img
  •        
  • Gaiola de Moscas | FOTO: Divulgação
    img
  •        
  • Gaiola de Moscas | FOTO: Divulgação
    img
  •        
  • Tu sois de onde | FOTO: Renata Pires
    img
  •        
  • Gaiola de Moscas | FOTO: Divulgação
    img
  •        
  • Gaiola de Moscas | FOTO: Divulgação
    img
  •        
  • Gaiola de Moscas | FOTO: Divulgação
    img
  •        
  • Gaiola de Moscas | FOTO: Divulgação
    img
  •        
  • Tu sois de onde | FOTO: Renata Pires
    img
  •        

Ancorado na magia das manifestações populares do Nordeste, o grupo comemora sua primeira década levando seus espetáculos para diversos estados, através do Palco Giratório  

| Texto: Maíra Passos |

No dicionário Aurélio pelejar é batalhar, combater, lutar… No Nordeste do Brasil, a luta tece caminhos na poesia, na peleja de cantadores e brincantes. Nas raízes dessa riqueza que é vida e brincadeira, arte e suor, se alimenta o Grupo Peleja, completando 10 anos de vida na estrada. Para compartilhar com o público os passos dessa década, foi idealizada a Mostra Comemorativa 10 anos de Peleja.

A Mostra inclui as apresentações dos espetáculos “Gaiola de Moscas”, o primeiro encenado pelo Peleja, que estreou em 2007 e o solo “Tu sois de onde?”, de Lineu Gabriel, além da realização das oficinas “Iluminação cênica” e  “Cavalo marinho e o corpo na cena”, tudo gratuito, percorrendo deste mês de outubro até março de 2015 as cidades de Garanhuns, Palmares, Goiana, Recife, Caruaru e Triunfo.

“A programação do projeto completo vai cumprir o seguinte roteiro de cidades: Garanhuns (outubro), Palmares e Goiana (novembro), Recife (janeiro e março), Caruaru e Triunfo (março). O espetáculo “Gaiola de moscas” é inédito em todas as cidades, menos Recife e Caruaru, onde será reapresentado. E “Tu sois de onde?” é inédito em Palmares, Triunfo, Caruaru e Goiana; já foi apresentado anteriormente apenas no Recife e em Garanhuns”, diz a bailarina Tainá Barreto, integrante do Grupo Peleja.

Paralelamente os artistas estão viajando por várias cidades do Brasil através do Palco Giratório, programa do SESC. A circulação pelo Palco Giratório teve início em abril de 2014. O carro-chefe da turnê é o espetáculo Gaiola de Moscas, passando, ao todo, por 22 estados e 42 cidades brasileiras.

O Grupo Peleja se envereda por caminhos que envolvem mistura, intercâmbio, gerando frutos no teatro, na dança, na pesquisa acadêmica e em produções audiovisuais. “Nossas investigações artísticas transitam pelo mundo das Artes Cênicas e pelas manifestações das Culturas Populares, sempre focadas em questões que passam pelo corpo”, explica Tainá.

O repertório do grupo conta hoje com cinco espetáculos, sendo quatro solos, um de cada integrante ( Anônimo, Cordões, Guarda Sonhos e Tu sois de onde?) e um espetáculo coletivo (Gaiola de Moscas). A mistura também está presente na formação do grupo, com integrantes de lugares diferentes do Brasil que se encontraram na paixão pelas manifestações da Cultura Popular do Nordeste e que invocando sempre a sua origem andarilha, hoje vivem em Pernambuco e na Paraíba.

HISTÓRIA – O Grupo Peleja se formou em 2004, em Campinas/SP, a partir de um grupo de investigação e treinamento que unia o interesse pela manifestação popular do Cavalo Marinho, da Zona da Mata Norte de Pernambuco, e pelo treinamento do Grupo LUME Teatro. Em 2007 estreou seu primeiro trabalho, “Gaiola de Moscas”, dirigido por Ana Cristina Colla (LUME) e fruto do entrelaçamento da corporalidade da dança do Cavalo Marinho com a literatura do escritor moçambicano Mia Couto.

Em 2008, o grupo migra para Pernambuco onde estrutura seu trabalho entre a dança, o teatro e as culturas populares em colaboração com artistas de diversas partes do Brasil. Atualmente o Grupo Peleja, formado por Carolina Laranjeira, Eduardo Albergaria, Lineu Gabriel e Tainá Barreto, desenvolve e realiza projetos que abarcam os diversos interesses de seus integrantes, resultando em cinco espetáculos, dois filmes, oficinas de iluminação, preparação corporal, treinamento, criação e pesquisas acadêmicas. Mais informações: (83) 9604-2240 | (81) 9925-9356




Postado por


COMPARTILHE:

Sobre o autor
Maíra Passos

    ÚLTIMOS POSTS:

    • Na Ponta do PÉ produz série sobre a dança pernambucana na pandemia
      Na Ponta do PÉ produz série sobre a dança pernambucana na pandemia
    • Cia. de Teatro e Dança Pós-Contemporânea  d’Improvizzo Gang estreia o filme “Café”
      Cia. de Teatro e Dança Pós-Contemporânea d’Improvizzo Gang estreia o filme “Café”
    • Projeto Corpoesia traz série de videodanças inspirada na obra do poeta França de Olinda
      Projeto Corpoesia traz série de videodanças inspirada na obra do poeta França de Olinda

    Deixe um comentário

    Mensagem