Livro sobre os 10 anos do Coletivo Lugar Comum será lançado
  • Coletivo Lugar Comum | FOTO: Divulgação
    img
  •        
  • Coletivo Lugar Comum | FOTO: Divulgação
    img
  •        
  • Coletivo Lugar Comum | FOTO: Divulgação
    img
  •        
  • Coletivo Lugar Comum | FOTO: Divulgação
    img
  •        

Com leituras performáticas de trechos da obra e tradução em libras, o lançamento acontece neste sábado (07), na Casa Maravilhas (Boa Vista, Recife) 

O Coletivo Lugar Comum completou dez anos de atuação levando a dança por todo o nosso país e para celebrar a primeira década de atividades, o livro “Comum Singular: 10 (12) anos de Coletivo Lugar Comum” fala sobre as suas estórias, percursos, errâncias e afetos acumulados durante as andanças por todo o Brasil em todos estes anos. O lançamento será neste sábado (07) às 18h, na Casa Maravilhas, no bairro da Boa Vista (Recife, PE).

A data escolhida para apresentar o exemplar ao público é por ser também o dia do grito dos excluídos, pois manter um coletivo artístico no nosso país no atual cenário político que vivemos é também um ato de resistência e é isso que o Coletivo Lugar Comum quer passar para os leitores. Na ocasião, o grupo promove leituras performáticas de trechos da obra e tradução em libras de todo o evento. Ainda pensando na acessibilidade, no próximo mês vai estar disponível uma versão do livro em PDF para pessoas cegas e com baixa visão.

O trocadilho de temporalidade no nome da publicação – 10 (12) anos de Coletivo Lugar Comum – tem a ver com o tempo de maturação de dois anos que foi preciso para organizar os seus conteúdos e resultados. Durante os anos de 2017 e 2018 os artistas integrantes do Lugar Comum se reuniram em torno da tarefa de levantar e olhar para material relativo às ações nos últimos 10 anos.

Foi um tempo de preparação e trabalho interno de revisitar a própria trajetória na busca de aprofundar a integração entre do passado e o trabalho que desenvolvem até hoje. Ao longo desse período foram feitas leituras de textos sobre memória e arte; práticas de dança sobre corpo, memória e a trajetória do coletivo, com encontros para conversar sobre como cada membro chegou até aqui, suas histórias e relembrar lembrar dos projetos bem-sucedidos e não sucedidos.

Os textos são elaborados pelos integrantes do grupo Roberta Ramos, Lorena Cronemberger, Virginia Laraia, Liana Gesteira, Conrado Falbo, Clara Camarotti, Silvia Góes, Maria Agrelli, Priscila Figueroa e Paloma Granjeiro, que escreveram sobre as suas memórias singulares e as construções coletivas ao longo desta década de trabalho.

A publicação está sendo realizada em uma parceria do Coletivo Lugar Comum com a Titivillus Editora, e com incentivo do Funcultura. Além disso conta com a organização de Roberta Ramos, Liana Gesteira e Conrado Falbo. O projeto gráfico dialoga com os conceitos desenvolvidos pelos organizadores, em duas cores, magenta e ciano, expondo o clima e a temperatura do coletivo: entre o mar e alua. A edição foi feita por Rodrigo Acioli, da Titivillus Editora (PE) e a produção gráfica realizada por Daniel Barbosa, da Caderno Listrado (SP).

O evento de lançamento do “Comum Singular: 10 (12) anos de Coletivo Lugar Comum” é aberto ao público e o valor do exemplar é de R$ 30,00 à venda no local. A Casa Maravilhas fica na Rua do Riachuelo, 641, Boa Vista (Recife, PE). Mais informações: (81) 98953-7289 (Casa Maravilhas).

Coletivo Lugar Comum

Surgido em 2007, primeiramente com artistas da dança que estavam atuando independentes na cidade e queriam construir um lugar de compartilhamento e troca de ideias, de experiências, de aulas e de questões ligadas a criação. Em 2011 o Coletivo passou a ter outra formação de integrantes agregando um grupo de artistas com atuação em diferentes linguagens (dança, teatro, performance, música, literatura, artes visuais) e também produtores. Hoje já são 14 integrantes, que acreditam no afeto como força, como construção. E nesse sentido, criar um coletivo de pessoas onde se possa afetar e ser afetado é indispensável para viver.

O Coletivo se propõe a ser uma alternativa às formas de organização e gestão de grupo centralizadoras e hierarquizadas e atua com um pensamento de criação colaborativo. A atuação política do grupo é no entendimento da arte como vida, construindo assim outras relações de trabalho e de modelos de criação, que sejam coerentes com a visão de mundo de cada integrante. Ter um ambiente de criação formado por pessoas que investem na arte como profissão e com eles poder partilhar ideias, inseguranças, crises, conquistas, questionamentos, experiências, garante um sentimento de alteridade e cumplicidade importante para estar no mundo.

SERVIÇO

Lançamento do livro “Comum Singular: 10 (12) anos de Coletivo Lugar Comum”
Quando: sábado, 07 de setembro de 2019
Horário: às 18h
Onde: Casa Maravilhas – Rua do Riachuelo, 641, Boa Vista (Recife, PE)
Entrada: gratuita
Exemplar: R$ 30,00, à venda no local do evento
Mais informações: (81) 98953.7289 (Casa Maravilhas)




Postado por


COMPARTILHE:

Sobre o autor
Aline Antunes

ÚLTIMOS POSTS:

  • Conheça a história do frevo, sua dança e vertentes
    Conheça a história do frevo, sua dança e vertentes
  • Bailarinos, atenção ao compartilhar maquiagem no camarim
    Bailarinos, atenção ao compartilhar maquiagem no camarim
  • Um pano que limpa o tempo tem nova apresentação no Recife
    Um pano que limpa o tempo tem nova apresentação no Recife

Deixe um comentário

Mensagem