Manguebeat é inspiração para videodança do Pantomima
  • Anamauê | FOTO: Felipe Soares
    img
  •        
  • Anamauê | FOTO: Felipe Soares
    img
  •        
  • Anamauê | FOTO: Felipe Soares
    img
  •        
  • Anamauê | FOTO: Felipe Soares
    img
  •        

O grupo de dança moderna-contemporânea lançou Anamauê, com participação de 15 bailarinas em cena e trilha sonora de Chico Science

Com pesquisas que vêm sendo desenvolvidas desde 2019, o Pantomima Grupo de Dança (Recife, PE) apresenta seus primeiros resultados do seu mergulho no movimento Manguebeat. Tendo seu processo criativo realizado mesmo virtualmente, por causa da pandemia, o grupo estreou a videodança Anamauê. A direção coreográfica foi de Viviane Lira e Taynanda Carvalho, contando com direção de fotografia de Felipe Soares. 

Segundo a bailarina Luísa de Castro, coordenadora do Pantomima, a ideia de abordar o tema partiu da importância do próprio movimento, que se desenvolveu no Recife, a partir de 1991. O Manguebeat consistiu em uma cena cultural que misturava elementos da cultura regional de Pernambuco, como o maracatu rural, com elementos como a cultura pop, o rock’n roll e o hip-hop.

“Diante da importância desse movimento para o cenário cultural pernambucano, o Pantomima Grupo de Dança cria um espetáculo de Dança Moderno-Contemporânea, cujo objetivo é de retratar o Movimento Manguebeat, que se tornou Patrimônio Imaterial do Estado por ter sido capaz de dar reconhecimento internacional a Pernambuco”, explica Luísa.

“Anamauê tem sido uma construção muito importante. Em julho de 2019 decidimos adentrar nessa temática e com certeza ninguém sairá o mesmo. Adentrar no Movimento Manguebeat é adentrar na nossa cultura, nas nossas raízes, desde as suas grandezas até as suas mazelas”, completa a bailarina.

A seguir, confira a videodança!

FICHA TÉCNICA

Bailarinas: Adriana Xavier Tavares, Ana Luiza de Oliveira Andrade, Cecília Kelner Silveira, Clara Möller da Bôaviagem, Clarissa Maria Kikushi Saraiva Câmara, Daniela Jucá Ferreira, Georgia Augustina Pinheiro Guardia, Juliana Bezerra Vieira Costa Cavalcanti, Luísa de Castro Bezerra, Maria Camilla Freire Veras Lacerda, Maria Eduarda Borges Kerstenetzky, Maria Elisa Mariano Barbosa, Marillia Maria Lima Santos, Mariana Coelho de Lemos, Rebecca Alves França da Silveira e Thaís Gonçalves Sabino 
Direção e coreografia: Taynanda Carvalho e Viviane Lira 
Coordenação: Luísa de Castro 
Direção de fotografia, montagem e design de som: Felipe Soares 
Arte e gráfica: Anna Sofia Cavalcanti  




Postado por


COMPARTILHE:

Sobre o autor
Maíra Passos

    ÚLTIMOS POSTS:

    • Dança pernambucana perde André Luiz Madureira, fundador do Balé Popular do Recife
      Dança pernambucana perde André Luiz Madureira, fundador do Balé Popular do Recife
    • Na Ponta do PÉ produz série sobre a dança pernambucana na pandemia
      Na Ponta do PÉ produz série sobre a dança pernambucana na pandemia
    • Cia. de Teatro e Dança Pós-Contemporânea  d’Improvizzo Gang estreia o filme “Café”
      Cia. de Teatro e Dança Pós-Contemporânea d’Improvizzo Gang estreia o filme “Café”

    Deixe um comentário

    Mensagem