Mostra Brasileira de Dança abre inscrição para suas oficinas
  • Fábio Soares | FOTO: Wellington Dantas
    img
  •        
  • Peter | Divulgação
    img
  •        
  • Fábio Soares | FOTO: Wellington Dantas
    img
  •        
  • Peter | Divulgação
    img
  •        

O evento, que está na sua 13ª edição, contará com atividades formativas gratuitas. Interessados tem até o dia 15 de julho para se cadastrar pelo site  

A Mostra Brasileira de Dança, um dos principais festivais do Recife, chega a sua 13ª edição promovendo, além de apresentações de espetáculos, atividades formativas. Os cursos, gratuitos, acontecem entre 01 e 07 de agosto, mas as inscrições já estão abertas e seguem até o próximo dia 15 de julho, através do site do evento.

Nesta edição, serão duas atividades voltadas para bailarinos iniciantes (Danças do Oriente, com Zuzu Leiva; e As danças do Maracatu Rural e Cavalo Marinho na construção de um corpo, com Fábio Soares) e uma para aperfeiçoamento profissional (Corpo dinâmico/Corpo flutuante, com Peter Dietz).

Segundo a organização do evento, a mostra segue priorizando as ações de formação juntamente aos espetáculos, por acreditar que esta é uma vertente de grande potencial do projeto, capaz de incentivar bailarinos em início de carreira e gerar troca de conhecimento e experiência entre os artistas.

Há dois anos a artista e pesquisadora Liana Gesteira atua como coordenadora pedagógica do evento, contribuindo para levar diferentes técnicas e práticas de dança ao público. Além das oficinas, a programação pedagógica conta também com o Seminário Dança e Sustentabilidade, que terá inscrições abertas a partir do dia 25 de julho.

O número de vagas para as atividades é limitado e diferenciado de acordo com cada oficina. Em 2016 a Mostra Brasileira de Dança leva 35 apresentações aos palcos do Recife (PE) entre os dias 29 de julho e 07 de agosto, unindo companhias, coletivos, grupos e artistas independentes do Paraná, Rio de Janeiro, São Paulo Bahia, Pernambuco e Portugal. O projeto conta com incentivo do Fundo Pernambucano de Incentivo à Cultura (Funcultura -PE), com o apoio da Prefeitura do Recife e Cepe.

Abaixo, confira os detalhes!

OFICINA DE APERFEIÇOAMENTO

Corpo dinâmico/Corpo flutuante
Com Peter Dietz (Portugal)
1° à 05 de agosto
Local: Espaço Compassos (Rua da Moeda, 93 – Bairro do Recife Antigo – 1° andar)
Horário: 10h às 13h
Carga horária: 10 horas
20 vagas – Esta oficina é de aperfeiçoamento profissional, portanto voltada para dançarinos, performers, e artistas do corpo com experiência.

Corpo dinâmico/Corpo flutuante tem como objetivo trabalhar as ideias principais de como pretendemos articular e reciclar a nossa energia e força em movimento. As aulas pretendem trazer a compreensão incorporada do movimento em seus elementos estruturais, desenvolvendo as habilidades de execução, articulação e deslocamento no espaço em uma abordagem prática, baseando-se em diferentes técnicas de movimento como o Release Technique e o Contact Improvisation.

Peter Michael Dietz nasceu na Dinamarca. É performer, bailarino, alguém que se move, criador, designer, orientador, coreógrafo, professor. Estudou na European Dance Development Center (EDDC) onde vivenciou as mais variadas técnicas e formas de dança como release technique e contacto improvisação. Tem trabalhado em várias instituições em Portugal, no Brasil e em diferentes zonas da Europa desde 1989. Trabalha e pesquisa no ‘c.e.m – Centro em Movimento’ orientado por Sofia Neuparth.

OFICINAS DE INICIAÇÃO

Danças do Oriente
Com Zuzu Leiva (SP)
1° à 05 de agosto
Local: Paço do Frevo (Praça do Arsenal da Marinha, s/n, Bairro do Recife)
Horário: 10h às 12h
Carga horária: 15 horas
30 vagas – Idade mínima de 10 anos. Não é necessária experiência anterior e os participantes podem ser de ambos os sexos. Recomendações: dançar descalço e trajar roupas confortáveis que permitam liberdade de movimentos.

A oficina aborda danças antigas de diferentes regiões do Oriente terrestre: Índia (Dança Clássica Odissi); Israel (Dança Tradicional Hebraica); Países Árabes (Dança Folclórica); Macedônia (Dança Tradicional Cigana) e Japão (Dança Tradicional Odori).

Zuzu Leiva é Atriz, dançarina e cantora do grupo MAWACA. Bacharel em Comunicação Social (FAAP), tem formação em Teatro (Macunaima), Astronomia (CASP), Danças Indianas (Odissi, Kathak), Dança do Ventre, Flamenco e Danças Étnicas.

As danças do Maracatu Rural e Cavalo Marinho na construção de um corpo
Com Fábio Soares (PE)
2 à 5 de agosto
Local: COMPAZ (Av. Aníbal Benévolo, S/N – Alto Santa Terezinha)
Horário: 10h às 12h
Carga horária: 10 horas
20 vagas – Público em geral, artistas, bailarinos, estudantes das artes cênicas.

A oficina parte da premissa onde a dança não é simplesmente abordada a partir da forma, mas principalmente a partir da essência e dos princípios físicos e energéticos que fundamentam os brinquedos tradicionais do Cavalo Marinho e do Maracatu Rural.  A qualidade de energia, os passos, o jogo e o ritmo são abordados a partir do envolvimento e da experiência adquirida ao longo dos anos por Fábio Soares como brincador tradicional destas danças.

Fábio Soares é integrante do Cavalo Marinho Estrela de Ouro e do Maracatu de Baque Solto Leão de Ouro, ambos os grupos são de Condado e são liderados pelo seu avô Mestre Biu Alexandre. No Cavalo Marinho Estrela de Ouro desempenha a função de Figureiro (pessoa que bota as figuras – personagens), também confecciona máscaras e adereços. No Maracatu de Baque Solto Leão de Ouro, desempenha a função de Vice-Presidente e Puxador de Cordão (um dos “cobocos”- caboclos da linha de frente do maracatu). Em 2005 recebeu convite para integrar o elenco de bailarinos do Grupo Grial de Dança onde permaneceu até o ano de 2012.

SEMINÁRIO DANÇA E SUSTENTABILIDADE
1° de agosto
Local: Espaço Compassos (Rua da Moeda, 93 – Bairro do Recife Antigo – térreo)
Horário: 18h às 21h30
Vagas: 80

A Roda de Conversa “Dança e Sustentabilidade” tem como proposta discutir iniciativas de sustentabilidade de companhias, escolas e instituições de dança diante do atual cenário econômico e político brasileiro. O encontro vai trazer artistas e gestores para debater sobre estratégias e alternativas de como manter as ações de dança e os trabalhos artísticos na atualidade. Para essa conversa teremos a presença de representantes do Balé Guaíra (PR), Teatro Villa (BA), Focus Cia de Dança (RJ), Balé Popular do Recife (PE), Academia Fátima Freitas (PE) e artistas independentes da cidade.

 




Postado por


COMPARTILHE:

Sobre o autor
Maíra Passos

    ÚLTIMOS POSTS:

    • Inspirações da bailarina do Theatro Municipal do Rio de Janeiro Liana Vasconcelos para produzir dança em casa
      Inspirações da bailarina do Theatro Municipal do Rio de Janeiro Liana Vasconcelos para produzir dança em casa
    • Cenas do Nordeste, online, traz espetáculos de dança e teatro
      Cenas do Nordeste, online, traz espetáculos de dança e teatro
    • Coreógrafo Ivaldo Mendonça se conecta com bailarinos durante a pandemia, através de fotografias
      Coreógrafo Ivaldo Mendonça se conecta com bailarinos durante a pandemia, através de fotografias

    Deixe um comentário

    Mensagem