Na Ponta do PÉ até de nove meses
  • Brenda Sechettini / FOTO: André Ferreira
    img
  •        
  • Brenda Sechettini / FOTO: André Ferreira
    img
  •        
  • Brenda Sechettini e o marido / FOTO: André Ferreira
    img
  •        

A bailarina e professora de dança Brenda Sechettini conta como foi conciliar a rotina de trabalho com a gravidez

Juliane Menezes

“Minha filha já entrou no palco”, afirma entre risos a bailarina Brenda Schettini, 32 anos. Dançarina profissional e professora de balé clássico, ela descobriu que estava grávida em outubro do ano passado. Não só continuou dando aulas de dança até o nono mês de gravidez, como chegou a participar de uma apresentação de dança com a pequena Pietra na barriga. “Apresentei-me grávida, mas sem saber. Logo no início da gravidez e dançando no REC Dança, um espetáculo contemporâneo do argentino Diego Lopez”, conta.

Uma vez descoberta a gravidez,  orientação médica foi de que ela tivesse mais cuidado nos primeiros meses, período de maior risco e no qual o bebê ainda está em formação. Nesse período, os excessos foram evitados, os movimentos, menos bruscos, e os saltos, proibidos.

Brenda seguiu com as aulas de balé clássico até os 6 meses de gestação. Foi então que ela decidiu parar e fazer pilates, pois seus movimentos no palco começaram a ficar limitados. “Eu não podia saltar, girar era difícil, entre outras dificuldades. Mas continuei ensinando até o último mês de gravidez”, revela. Seu marido e pai da criança, Bruno Lapenda, foi bastante tranquilo em relação ao fato de ela permanecer dançando durante a gravidez. “Ele me apoiou sempre, pois sabe que o balé é uma terapia e que me faz bem”, conta.

Pietra nasceu em 1 de outubro, e desde então, o casal é só mimos para o bebê. Brenda ainda está de licença maternidade, mas já se preocupa com a volta ao trabalho, em fevereiro.  “Não sei como será… Não sei se conseguirei ser tão assídua como sempre fui”, pondera a nova mamãe.

CARREIRA

Brenda entrou para a dança aos 6 anos de idade. Na época não gostou muito, e logo pediu à mãe para sair. Mas aos 9 anos retornou para nunca mais deixar. Ela é bailarina e hoje dá aulas de Balé no Studio de Danças.  Já se apresentou em diversos grandes festivais, a exemplo dos de Joinville, Brasília, Fortaleza, e também no próprio Recife.

 




Postado por


COMPARTILHE:

Sobre o autor
Maíra Passos

    ÚLTIMOS POSTS:

    • Inspirações da bailarina do Theatro Municipal do Rio de Janeiro Liana Vasconcelos para produzir dança em casa
      Inspirações da bailarina do Theatro Municipal do Rio de Janeiro Liana Vasconcelos para produzir dança em casa
    • Cenas do Nordeste, online, traz espetáculos de dança e teatro
      Cenas do Nordeste, online, traz espetáculos de dança e teatro
    • Coreógrafo Ivaldo Mendonça se conecta com bailarinos durante a pandemia, através de fotografias
      Coreógrafo Ivaldo Mendonça se conecta com bailarinos durante a pandemia, através de fotografias

    Deixe um comentário

    Mensagem