Primeira videodança do Grupo Experimental reflete sobre o caos do meio artístico na pandemia
  • Videodança do Experimental | FOTO: Ivan Dantas
    img
  •        
  • Videodança do Experimental | FOTO: Ivan Dantas
    img
  •        

A obra-manifesto “Os ratos não estão no porão”, desenvolvido e dançado pela coreógrafa Mônica Lira, está disponível no canal do Youtube da companhia

A arte no país sempre esteve em meio ao caos. Artistas naturalmente sobrevivem tentando garantir a mínima dignidade aos seus trabalhos, em uma luta constante por justas remunerações, reconhecimento e espaço. E em um contexto de pandemia, como se manifesta essa realidade?

Foi diante desta reflexão que a coreógrafa Mônica Lira, diretora do Grupo Experimental, propôs a criação do mais novo trabalho da companhia “Os ratos não estão no porão”, que já está disponível no canal do Youtube da companhia. Confiram, abaixo:

O trabalho, financiado pela Lei Aldir Blanc, desenha-se como uma videodança de uma artista solo, a própria Mônica, e funciona como um “manifesto” dançado, que coloca para o espectador as angústias e descaso que, diante do cenário pandêmico, se fez a realidade de muitos da cadeia cultural.

Mônica encena a própria lida, que como a de todos os artistas é cheia de inseguranças, mistérios, caos e abandono, uma vez que o setor cultural, mesmo diante dos recursos das leis emergenciais, está a mercê dos governantes que não solucionam uma questão histórica e permanentemente latente: o desamparo do trabalhador de arte.

PROCESSO CRIATIVO

Criado em meio ao casarão antigo do bairro do Recife, sem teto, Rede Moinho, que sedia o atelier a céu aberto do artista Sérgio Altenkirch, também cenógrafo da obra, a videodança “Os ratos não estão no porão”, surge como uma analogia – e ironia- da vida do artista contemporâneo, que mergulhado ao contexto pandêmico está em situação de extrema vulnerabilidade, em muitos casos beirando a miséria, uma vez que falta assistência básica ao setor.

“Antes da pandemia fomos para as ruas com a nossa obra ‘Pontilhados’, um passeio dançado por algumas cidades com um elenco de quase 20 artistas. Há quase 3 anos ficamos sem teto, sem a casa desse corpo Experimental, onde podíamos criar, dançar, pesquisar, fazer aulas, assistir espetáculos e realizar projetos. E agora, neste momento sem horizontes, como continuar dançando?”, indaga Mônica Lira.

Na perspectiva de isolamento dos tempos vigentes, a videodança do Grupo Experimental também teve um novo desafio: realizar uma obra conjunta, ainda que o encontro fosse limitado. Neste sentido, muito da concepção da obra veio de ajustes e interações tecnológicas não exploradas anteriormente.

Na equipe, o mínimo de pessoas possível, seguindo todos os protocolos de higiene e segurança. A videodança teve ainda concepção de trilha sonora original pelos músicos Diego Drão e Ivo Távora, desenho de luz por Beto Trindade, direção artística de Rafaella Trindade, câmera e montagem de Silvio Barreto e produção de Caio Trindade.

Sobre a iniciativa, a diretora Mônica Lira explica: “Estamos todos vulneráveis, expostos, perdidos e angustiados neste momento mais do que nunca. Nossa videodança quer provocar as pessoas a pensarem o porquê de estarmos neste lugar de tantas incertezas e sofrimento. Ser um trabalhador de arte é, antes de tudo, indagar o tempo presente e questionar o tempo futuro. E sendo assim, como poderemos viver, continuar a existir, quando opera no nosso país uma política que pode nos exterminar?”, conclui a artista.

FICHA TÉCNICA

Concepção, direção geral, figurino e intérprete: Mônica Lira
Direção artística e figurino: Rafaella Trindade
Direção de fotografia, câmera e montagem: Silvio Barreto
Desenho cenográfico e criação das peças: Sérgio Altenkirch
Desenho de luz e execução: Beto Trindade
Produção e assistente de iluminação: Caio Trindade
Ambiente sonoro e trilha original: Diego Drão e Ivo Thavora
Registro fotográfico: Ivan Dantas
Locação filmagem: RedeMoinho da Ilha (Sergio Altenkirch)
Design gráfico: Carlos Moura
Comunicação: Marta Guimarães




Postado por


COMPARTILHE:

Sobre o autor
Maíra Passos

    ÚLTIMOS POSTS:

    • Espetáculos de dança fazem parte da programação do 28º Janeiro de Grandes Espetáculos
      Espetáculos de dança fazem parte da programação do 28º Janeiro de Grandes Espetáculos
    • Espetáculo O Quebra Nozes, produzido pelo Studio de Danças e Pina Ballet Hall
      Espetáculo O Quebra Nozes, produzido pelo Studio de Danças e Pina Ballet Hall
    • Os vídeos mais curtidos do Festival de Vídeos de Dança Na Ponta do PÉ!
      Os vídeos mais curtidos do Festival de Vídeos de Dança Na Ponta do PÉ!

    Deixe um comentário

    Mensagem