Sobre a comunicação entre as pessoas
  • Morder a Língua | FOTO: Tristán Pérez Martín
    img
  •        
  • Morder a Língua | FOTO: Tristán Pérez Martín
    img
  •        
  • Morder a Língua | FOTO: Tristán Pérez Martín
    img
  •        
  • Morder a Língua | FOTO: Tristán Pérez Martín
    img
  •        

Após turnê nacional, o premiado espetáculo Morder a Língua, com direção do pernambucano João Lima, fica em cartaz no Recife de 11 a 14/08, no  Teatro Marco Camarotti

O pernambucano João Lima encerra a turnê nacional do espetáculo de dança contemporânea morder a Língua no Recife entre amanhã e domingo, no Teatro Marco Camarotti, Sesc Santo Amaro. A obra foi contemplada pelo Prêmio Funarte Klauss Vianna 2014 e foi criada em coautoria pelos artistas João Lima (Brasil), Cecília Colacrai (Argentina) e Anna Rubirola.

Morder a Língua, que também recebeu o incentivo do Iberescena – Fundo de Ajuda para as Artes Cênicas Ibero-americanas, estreou na Espanha em dezembro de 2014 e, no Brasil, passou por circulação em Palmas, São Paulo, Teresina e Cuiabá.

A montagem, executada nesta turnê por João Lima e Cecilia Colacrai, discorre sobre a comunicação entre as pessoas. É uma obra minimalista que trata das relações entre palavra e gesto; linguagem e movimento; coreografia e possibilidade de gerar diferentes significados. O que se transmite de um corpo a outro?

Em que medida a linguagem delimita nossa cognição e relações com o mundo? Quando tudo está dito, quais seriam os espaços dos não-ditos? O que manifesta um corpo? Quem fala? E quem escuta? Como falar do que não se nomeia? São algumas das questões elencadas pela performance.

“Em Morder a Língua, tratamos a linguagem coreográfica como uma caixa de ferramentas, propondo diferentes possibilidades de composição e leitura, privilegiando a ambiguidade e a polissemia. Esvaziar as palavras e por em valor sua potência”, explica os coreógrafos.

Com duração de 45 minutos, as apresentações acontecem às 20h, de quinta a sábado, e às 18h, no domingo. Os ingressos custam R$20 (inteira) e R$10 (meia entrada).

SOBRE OS ARTISTAS 

João Lima – Nascido no Recife e radicado em Barcelona, João Lima tem participado de projetos no Brasil e na Europa. Em Pernambuco, apresentou os espetáculos Ilusionistas (2012), O outro do outro (2010), Noturno (2003) e A história do zoológico (2001), além de ter promovido, em 2014, o seminário Articulações. No Rio de Janeiro, fez parte do elenco de Natureza monstruosa (2011), da coreógrafa Marcela Levi. Também trabalhou nos filmes pernambucanos Brasil S/A, Em trânsito e Amor, plástico e barulho.

Anna Rubirola -Trabalhou como intérprete em diversas companhias da Espanha, França e Inglaterra. Entre suas criações estão Coristes (com Maria Montseny, 2011) e Dia Zero (2012). Atualmente, dá aulas de dança contemporânea em diversas instituições.

Cecilia Colacrai – Bailarina, criadora independente e professora de dança contemporânea. Trabalha em diversas companhias. Entre suas obras estão Gira (com Jorge Albuerne, 2007), Azul como uma laranja (com João Lima, 2009) e Sola? (2005).

FICHA TÉCNICA 
Criação: João Lima, Cecilia Colacrai e Anna Rubirola
Interpretação: João Lima e Cecilia Colacrai
Direção artística e dramaturgia: João Lima
Colaboração nos textos: Pablo Colacrai
Desenho de som: Andy Poole
Desenho de luzes: Joana Serra
Fotos e vídeos: Tristán Pérez-Martín

Morder la Lengua (teaser) from tristán pérez-martín on Vimeo.




Postado por


COMPARTILHE:

Sobre o autor
Maíra Passos

    ÚLTIMOS POSTS:

    • Inspirações da bailarina do Theatro Municipal do Rio de Janeiro Liana Vasconcelos para produzir dança em casa
      Inspirações da bailarina do Theatro Municipal do Rio de Janeiro Liana Vasconcelos para produzir dança em casa
    • Cenas do Nordeste, online, traz espetáculos de dança e teatro
      Cenas do Nordeste, online, traz espetáculos de dança e teatro
    • Coreógrafo Ivaldo Mendonça se conecta com bailarinos durante a pandemia, através de fotografias
      Coreógrafo Ivaldo Mendonça se conecta com bailarinos durante a pandemia, através de fotografias

    Deixe um comentário

    Mensagem