Transbordando arte e igualdade
  • Curadores | FOTO: Rayanne Morais
    img
  •        
  • Edson Vogue | FOTO: Paulo Paiva
    img
  •        
  • Cárcere | FOTO: Tially Lima
    img
  •        
  • Curadores | FOTO: Rayanne Morais
    img
  •        
  • Edson Vogue | FOTO: Paulo Paiva
    img
  •        
  • Cárcere | FOTO: Tially Lima
    img
  •        

Mostras de dança, teatral e performances fazem parte da programação do Festival Transborda de Cultura sem Gênero, que acontece até 21/04, no Recife

Gerar conexão, integração, acolhimento e empoderamento de projetos culturais que discutem gênero e suas diversidades, sexualidades, protagonismo feminino e transcidadania. Esse é o objetivo do Festival Transborda de Cultura sem Gênero, que chega ao Recife pala segunda vez até o próximo dia 21, em diversos teatros e pontos culturais da cidade.

O festival é idealizado por Rhommel Bezerra, Diretor do Grupo Itinerante de Teatro da Cidade do Rio de Janeiro, envolvido desde 2010 em projetos que abordam a diversidade e inclusão social. A primeira edição do Transborda aconteceu em 2016, na capital paulista, e concorreu ao prêmio de melhor festival LGBTQ+ do Guia Gay São Paulo.

Este ano, o projeto conta com uma programação multilinguagem, que inclui mostra teatral, mostra de dança, shows musicais, performances, mesas de diálogo, oficinas, exposição de artes integradas e festas. São 22 artistas e grupos brasileiros convidados. As apresentações de dança começam nesta terça-feira (03/04) com Cárcere, do Grupo Corpore de Dança, de Pernambuco.

O espetáculo é uma criação gerada por um longo processo de descobertas, estudos, construções e desconstruções. Alicerçado por uma intensa e múltipla pesquisa de construção do corpo expressivo, da técnica contemporânea, do movimento e da cena, esse trabalho vem recolocar o Grupo no cenário artístico com um espetáculo intenso e reflexivo.

O festival conta também com performances que dialogam com dança. Quem abre essa modalidade é Água Dura, de Marcela Aragão e Rebeca Gondim, de Pernambuco. Oficina de Vogue e de Stiletto também entram na programação, com Edson Vogue e Sophia William, respectivamente. A curadoria desta edição é assinada pelas atrizes Aurora Jamelo e Sophia William, que fazem parte do DIG d’Improvizzo Gang, além de Marcionilo Pedrosa e do próprio idealizador, Rhommel Bezerra – ambos integrantes do Grupo Itinerante.

“O Transborda é um ato político, de resistência artística. Quando recebi o convite para fazer parte da equipe, preocupei-me em dar voz para artistas que não têm espaço. O festival carrega uma bandeira que celebra o orgulho que cada um deve sentir da sua identidade”, afirma Marcionilo. A proposta do grupo é de uma programação diversificada, com intercâmbio de artistas e aprofundamento em uma ampla perspectiva da temática do Festival.

“Como curadora artística, pensar nas pessoas que vão integrar a luta do projeto é ter voz para dar voz a quem eu sei que também quer falar. Transbordar é ir além da borda, causar esse furdunço que as pessoas precisam saber que existe”, diz Aurora. A segunda edição do Festival Transborda de Cultura sem Gênero é um projeto do Grupo Itinerante de Teatro, da Fora da Chuva Produções Culturais e da Proa Marketing Cultural e Projetos, com apoio do Governo de Pernambuco, através da Fundarpe, e do Portomídia.

Os ingressos custam R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia), tendo também apresentações e atividades com entrada franca. O Festival também vai disponibilizar a meia entrada social, com doação de 1kg de alimento não perecível. Todas as doações serão destinadas ao GTP+ (Grupo de Trabalhos em Prevenção PositHIVo), que desde 2002 realiza ações voltadas à população de profissionais do sexo, buscando fortalecer a auto estima, cidadania, empoderamento e postura de protagonismo social.

Transexuais têm acesso livre a toda programação, mediante a capacidade de lotação dos espaços.  Mais informações: (81) 99548.9458. Abaixo, confira a programação de dança. Detalhes sobre outras apresentações na página do evento no Facebook.

PROGRAMAÇÃO DE DANÇA 

Terça-feira, 03 de abril
18h | Teatro do Arraial Ariano Suassuna

Cárcere (Grupo Corpore de Dança | PE)
Inteira R$ 30 e meia R$ 15
Duração: 60min | Classificação: 12 anos
Sobre: Cárcere é uma criação gerada por um longo processo de descobertas, estudos, construções e desconstruções. Alicerçado por uma intensa e múltipla pesquisa de construção do corpo expressivo, da técnica contemporânea, do movimento e da cena, esse trabalho vem recolocar o grupo no cenário artístico com um espetáculo intenso e reflexivo. Essa trajetória começa em 2014, ano em que o país falou sobre os 50 anos do golpe civil militar. Parte daí uma inquietação do grupo e surge o desejo de falar sobre. Sendo assunto de interesse geral, nos debruçamos sobre esta realidade a fim de conhecê-la um pouco melhor e encontrar referências que nos motivassem a traduzir em dança, em corpo e movimento aspectos, para nós, relevantes deste contexto que, guardadas as devidas proporções, consideramos bem atual.

Quinta-feira, 12 de abril
19h | Galeria Joana D’arc
Entrada franca
Performances:

Água Dura (Marcela Aragão e Rebeca Gondim | PE)
Duração: 20min | Classificação: Livre
Sobre: Água Dura é um programa performativo que tem como ação básica bater/lavar roupas
contra o solo, ecoando revoltas.

Como é que foi? (Edson Vogue | PE)

Segunda-feira, 16 de abril
13h | Casa da Cultura
Oficina de Vogue
Com: Edson Vogue
Entrada franca

Terça-feira, 17/04
13h, Casa da Cultura
Oficina de Stiletto
Com: Sophia William
Entrada franca

Quarta-feira, 18 de abril
14h | Design Center –  Portomídia
Performance de abertura: Terezinha (Rebeca Gondim |PE)
Entrada franca

Sábado, 21 de abril
17h | Torre Malakof
Performance: Jorge Kildere (PE)
Entrada franca




Postado por


COMPARTILHE:

Sobre o autor
Fabiana Almeida

    ÚLTIMOS POSTS:

    • Inspirações da bailarina do Theatro Municipal do Rio de Janeiro Liana Vasconcelos para produzir dança em casa
      Inspirações da bailarina do Theatro Municipal do Rio de Janeiro Liana Vasconcelos para produzir dança em casa
    • Cenas do Nordeste, online, traz espetáculos de dança e teatro
      Cenas do Nordeste, online, traz espetáculos de dança e teatro
    • Coreógrafo Ivaldo Mendonça se conecta com bailarinos durante a pandemia, através de fotografias
      Coreógrafo Ivaldo Mendonça se conecta com bailarinos durante a pandemia, através de fotografias

    Deixe um comentário

    Mensagem