Na Ponta do PÉ produz série sobre a dança pernambucana na pandemia
  • A passista Bruna Renata foi uma das 11 entrevistadas
    img
  •        
  • Gravações seguiram todos os protocolos
    img
  •        

São nove vídeos com entrevistas de bailarinos e coreógrafos de Pernambuco sobre o cenário da dança em tempos de corononavírus

Na Ponta do PÉ produziu série de entrevistas para mostrar o cenário da dança pernambucana na pandemia. Viabilizado com recursos da Lei Aldir Blanc, através do Governo Federal, por intermédio da Secretaria de Cultura do Governo de Pernambuco, a série traz nove vídeos, já disponíveis no canal do Youtube, na playlist dança na pandemia. Há também nove reportagens especiais com conteúdo extra em texto, publicadas aqui no nosso site.

Contando com a participação de 11 artistas de dança, entre bailarinos, coreógrafos e professores de dança, a ideia da série doi mostrar como esses profissionais vêm tentando driblar a pandemia para a dança continuar se movendo. Nos relatos, os primeiros impactos no mercado da dança quando se iniciou a quarentena mais rígida (março de 2020), a adaptação repentina do ensino do modelo físico para o online e as perdas que esses artistas sentiram com as restrições e falta de apresentações no palco presencial.

Apesar dos desafios, ao longo da série, Na Ponta do PÉ mostrou também como esses artistas de dança se reinventaram na crise, criando videodanças (a maioria, pela primeira vez), fazendo apresentações ao vivo, através de lives e videochamadas, e outras ações presenciais, seguindo os protocolos sanitários. Ou seja, a série nasceu da vontade de compartilhar com vocês ideias de alguns desses artistas de dança para inspirar outros profissionais da área e também mostrar para a plateia que há muita dança sendo exibida virtualmente!

CONTEÚDO DOS EPISÓDIOS

Nos assuntos abordados nos episódios da série: conversas sobre como os passistas de frevo caíram no passo num ano histórico sem carnaval; sobrevivência do maracatu e outras danças populares na pandemia; como praticar dança de salão sem poder dançar juntos; produção de videodanças na pandemia; sem conexão com a dança na periferia, pela falta de acesso à internet; danças urbanas e cultura hip hop na pandemia; produção de espetáculos presenciais para exibições virtuais; e adaptação do ensino da dança com aulas online e presenciais, com restrições.

Nos links abaixo, confira todas as publicações feitas especialmente para esta série:

Passistas de frevo do Recife contam como manter o frevo vivo num ano sem carnaval

Bailarina explica sobre o maracatu, enquanto dança, e fala sobre os desafios da dança popular na pandemia

Bailarinos e artistas audiovisuais explicam conceitos de videodança

Dançarinos de salão contam como a dança a dois vem tentando se reinventar na pandemia

Como o dançarino de hip hop vem fazendo arte longe dos espaços urbanos?

Com 20 anos de dança, Cia. Etc. conta sobre sua relação com o audiovisual e produções na pandemia

Artista de danças urbanas fala sobre aulas e criações para a internet

Espétaculo Na Sala, do Stúdio de Danças, é produzido para o formato virtual

Aulas online para manter o frevo pulsando na pandemia

Publicação original de 26/04/2021.



Postado por


COMPARTILHE:

Sobre o autor
Maíra Passos

    ÚLTIMOS POSTS:

    • Dança pernambucana perde André Luiz Madureira, fundador do Balé Popular do Recife
      Dança pernambucana perde André Luiz Madureira, fundador do Balé Popular do Recife
    • Na Ponta do PÉ produz série sobre a dança pernambucana na pandemia
      Na Ponta do PÉ produz série sobre a dança pernambucana na pandemia
    • Cia. de Teatro e Dança Pós-Contemporânea  d’Improvizzo Gang estreia o filme “Café”
      Cia. de Teatro e Dança Pós-Contemporânea d’Improvizzo Gang estreia o filme “Café”

    Deixe um comentário

    Mensagem